domingo, 2 de dezembro de 2012

O coração dentro de cada livro

O coração dentro de cada livro

Rogel Samuel

No Brasil há uma grande campanha na mídia e nas mentes das pessoas contra os políticos. Isto é perigoso pois tenta preparar uma ditadura ou minar as bases da democracia. A influência da TV ainda é grande, e meia dúzia de jornalistas de direita consegue formar a mentalidade da nação inteira a serviço da classe dominante paulista.

Por isso fiquei feliz em ler o poema de Manuel Alegre na coluna de Amelia Pais no PORTAL ENTRE-TEXTOS.

Porque há os que cultivam e colhem as flores das pedras, os que abrem portas e janelas para a liberdade, os que derrubam os muros da prisão, os que acendem rosas de fogo nas praças públicas e os que produzem e vendem livros...

Livreiro da Esperança

Há homens que são capazes
de uma flor onde
as flores não nascem.
Outros abrem velhas portas
em velhas casas fechadas há muito.
Outros ainda despedaçam muros
acendem nas praças uma rosa de fogo.
Tu vendes livros quer dizer
entregas a cada homem
teu coração dentro de cada livro.

Manuel Alegre

"Manuel Alegre de Melo Duarte (Águeda, 12 de Maio de 1936) é um poeta e político português. Foi opositor do regime salazarista e esteve exilado na Argélia durante o período do Estado Novo. É membro destacado do Partido Socialista português, partido do qual foi fundador e Vice-Presidente e pelo qual é deputado na Assembleia da República. Foi preso pela polícia política (PIDE) por se revoltar contra a guerra. Foi Secretário de Estado da Comunicação Social e Porta Voz do 1.º Governo Constitucional. Em Setembro de 2005 anunciou a sua candidatura às eleições para a Presidência da República realizadas em 22 de Janeiro de 2006. Alegre obteve 20,72% dos votos, não conseguindo evitar a vitória à primeira volta de Cavaco Silva, mas conseguindo uma vantagem de cerca de 6% dos votos expressos sobre Mário Soares, candidato oficial do Partido Socialista.
Formou um movimento cívico, denominado Movimento de Intervenção e Cidadania. Apesar de frequentes intervenções nas quais insinuou a possibilidade da formação de um novo partido político à esquerda do Partido Socialista, Manuel Alegre tem permanecido nas fileiras do seu partido e do seu grupo parlamentar. Esta escolha não o impediu, porém, em diferentes ocasiões, de alinhar o seu voto com os do Partido Comunista Português e do Bloco de Esquerda contra a orientação política do seu próprio partido". WIKIPEDIA.

Nenhum comentário: