sábado, 24 de agosto de 2013

Caio Blat raspa cabelo todos os dias para interpretar monge em novela

Caio Blat raspa cabelo todos os dias para interpretar monge em novela
LOUISE SOARES
COLABORAÇÃO PARA O "F5", DO RIO
Em "Joia Rara", próxima novela das 18hs da TV Globo, Caio Blat interpretará Sonan, um monge budista do Nepal que cruza meio mundo para encontrar a menina brasileira Pérola (Mel Maia), reencarnação de seu mestre, Ananda Rinpoche (Nelson Xavier).
Na trama de Duca Rachid e Thelma Guedes, o ator é um lama, um estudioso da filosofia budista. Calmo e concentrado, será o tutor de Pérola e a ajudará a encontrar sua missão dentro da religião.
Para viver o personagem, ele raspa a cabeça com máquina zero em todos os dias de gravação.
"Tínhamos uma imagem de que os monges eram sempre mais contemplativos, sérios, mas isso é uma ilusão. Durante a viagem ao Nepal, descobrimos que eles são muito brincalhões, provocando uns aos outros enquanto o lama fazia as orações. A gente quis trazer essa espontaneidade para a novela, para que os monges não parecessem 'santinhos', mas pessoas comuns, atrapalhadas", explicou Blat ao "F5".
João Cotta/Divulgação/TV Globo
O ator Caio Blat será monge budista em “Joia Rara”
O perfil descontraído dos monges de "Jóia Rara" promete render cenas divertidas. Logo após chegarem ao Brasil, eles passam por vários apuros.
Ao ver o mar pela primeira vez na praia de Copacabana, quase se afogam. Depois, ainda são assaltados, confundidos com pedintes e acabam presos.
"Eles são figuras esquisitas, ainda mais nos anos 1930. São confundidos com loucos, com pessoas em bloco de carnaval. E a história deles parece absurda. Na década de 1930, uma viagem do Himalaia ao Brasil levava seis meses."
A aventura insólita de Sonan (Caio Blat), Tempa (Ângelo Antônio) e Jampa (Fabio Yoshimura) não será isenta de apertos, a começar pela dificuldade de explicar sua missão para os brasileiros. Em um capítulo, serão presos porque ninguém acredita na história deles.
"Jóia Rara" estreia dia 16 de setembro, às 18h.
 

Nenhum comentário: