quarta-feira, 7 de agosto de 2013

Filme inédito de Orson Welles é descoberto na Itália

Filme inédito de Orson Welles é descoberto na Itália
Do UOL, de São Paulo               

  • Filme mudo perdido de Orson Welles "Too Much Johnson" é encontrado na cidade de Pordenone; obra será exibida em outubro em festival da Itália e dos Estados Unidos Filme mudo perdido de Orson Welles "Too Much Johnson" é encontrado na cidade de Pordenone; obra será exibida em outubro em festival da Itália e dos Estados Unidos
O filme "Too Much Johnson" (1938), de Orson Welles, considerado perdido desde 1970, foi encontrado recentemente em um armazém da cidade de Pordenone, no norte italiano.
A película já foi restaurada e vai estrear no dia 9 de outubro na Itália, no festival Le Giornate del Cinema Muto, em Pordenone. Nos Estados Unidos, a raridade será exibida em 16 de outubro, no museu George Eastman House, em Rochester, Nova York.
Dividida em três partes, a comédia pastelão foi concebida para ser projetada no teatro, como prólogo de uma montagem de William Gillette, de 1894, assinada por Welles.
A ideia do diretor para o filme era exibi-lo com música e efeitos sonoros reproduzidos ao vivo, no Mercury Theatre, de Nova York, no dia 16 de agosto de 1938. A projeção, no entanto, nunca foi feita.
Participam do filme mudo os atores Joseph Cotten Eustace Wyatt, Edgar Barrier, Ruth Ford, Arlene Francis, Mary Wickes, além de Welles e sua mulher Virginia Nicholson.

O rolo foi encontrado por uma equipe da associação italiana Cinemazero. O arquivo Cineteca del Friuli da Itália, então, cedeu a cópia para restauração no museu George Eastman House, nos Estados Unidos. O projeto foi bancado pela National Film Preservation Foundation.

Até então, acreditava-se que a única cópia de "Too Much Johnson" havia sido queimada em um incêncio na casa de Welles em Madri, em 1970.
"Esta é de longe a mais importante restauração de filme da George Eastman House em muito tempo", disse Paolo Cherchi Usai, curador sênior do filme, que supervisionou o projeto no George Eastman House.
"Segurar nas mãos o mesmo rolo que tinha sido editado pessoalmente por Orson Welles há 75 anos provoca uma emoção simplesmente indescritível."

Nenhum comentário: