sexta-feira, 16 de novembro de 2012

a palavra falada tentada forçada escrita





















 

a palavra falada tentada forçada escrita


rogel samuel



a palavra falada tentada forçada escrita
a ventarola do fio do violino a porta
o mormaço cobre o túmulo e volta

gente
e volta a ser gleba
voltamos nós
à palavra falada ouvida esquecida esquisita
morta
como o fio do destino à porta
é um outro lugar
um salão sagrado, familiar, construído há tempo,
e cheio de morte
ecoando suavemente mofado escuro quieto
como nuvem de umidade
por cima do tapete verde da pedra
espero a “Celebração da paz”, de Holderlin

2 comentários:

Jefferson Bessa disse...

Que bonito, Rogel! Hölderlin sempre nos desperta.
Abraços.
Jefferson.

ROGEL SAMUEL disse...

sempre, amigo,
obrigado